Archive for the ‘Acesso a internet’ Category

Download de música é coisa do passado?

Quinta-feira, Julho 16, 2009
posted by Ygor 9:42 AM

Você ainda compra CD? Essa foi a pergunta feita por um programa de notícias do canal MTV Brasil ontem (15/07). CD aparentemente virou coisa do passado. Mas segundo uma pesquisa apresentada no mesmo canal, mostrou que o download de música já virou coisa do passado.
Possível? Sim!

A pesquisa mostra que pessoas ao invés de procurar músicas pela internet estão ganhando tempo indo direto em sites de livestream. Estão escutando mais web rádios, listas online e sites de vídeo online.

As gravadoras gostaram dessa nova tendência e já está com o pensamento em investir.

No último dia (14), o grupo Ludov lançou em seu site oficial, o seu novo disco, “Caligrafia”. Só que foi de uma forma bastante diferente. A banda fez o lançamento em um show ao vivo transmitido pelo próprio site da banda. Além de promoções que envolvem redes sociais como Fotolog, Orkut, Facebook, Twitter, Flickr.

No Brasil existem mais de 850 webradios, e por mais que elas estejam em sites gringos, com uma internet mais veloz, as webradios brasileiras vem tomando o seu espaço e a gente fica na torcida.

http://1.bp.blogspot.com/_MmuNyYORlIA/SJUWL6wmpXI/AAAAAAAAAZo/SOQ9ieWtqzQ/s400/webradio.jpg

Irã onde?

Terça-feira, Junho 23, 2009
posted by Polly 12:48 PM

Não tá na tv, não tá no jornal, mas tá no CITIZEN TUBE:

Fiquem de olho no Citizen Tube, porque maior exemplo do que a internet pode fazer por uma causa maior, creio que não haja. Ou se houver, são poucos.

Mesmo que tudo dê errado, caia um meteoro no meio de recife e a ordem mundial entre em colapso, não venda seu laptop - em época de recessão eterna, nunca se sabe o que pode acontecer, e não precisamos de especialista algum pra ressaltar o quanto a internet se tornou uma ferramenta básica de sobrevivência na nossa cultura. Inscrições, envio de documentos, consulta, notícias, enfim, o ponto é claro, óbvio, e já deixou de ser novidade há algum tempo. A par dos deveres e oportunidades da vida moderna, desconectado, mesmo num cenário apocalíptico, ninguém fica, e ainda não contei novidade.
Interessante foi saber que alguns países têm de fato estrutura para tal: nos EUA, com aproximadamente U$ 100, é possível adquirir um portátil e sair à procura de pontos de energia e rede wireless públicos, por quase preço nenhum, o que inclui no cenário virtual até mesmo pessoas desabrigadas e desempregadas, assim como Robert Livingston, de 49 anos, em São Francisco, que ganhou uma câmera digital de amigos e usa metade de sua renda mensal, inúmeras vezes menor do que um salário mínimo, para manter uma conta pro no flickr, e ali publicar o que ele vê nas ruas. Ao ser despejado de seu apartamento e sair do emprego de vigia noturno, Livingston ficou à mercê da crise e desde então não arranjou trabalho novamente. No entanto, ele manteve o laptop, a câmera e a noção de networking, e rende a São Francisco um relato único, íntimo da cidade e da vida que percorre as ruas:

This is Annettes block!

This is Annette's block!




Vai-se o dinheiro, mas permanece o espírito inovador, baita lição. A tecnologia não mais é um pretexto para o consumismo.
Mais das lentes de Robert Livingston aqui
Mais casos de moradores de rua online nessa matéria
Mais sobre a comunidade virtual de moradores de rua nessa wiki

Nuvem carregada

Quinta-feira, Maio 14, 2009
posted by lairson 4:41 PM

A chamada virtualização, potencializada pela crescente melhoria de infra-estrutura da Internet e barateamento dos recursos computacionais continua sendo uma tendência.

Entretanto, nos últimos meses observou-se diversas falhas críticas que deixaram milhões de pessoas desconectadas. São usuários dos serviços google (gmail, gtalk, docs etc.), do skype, do twitter e de diversas outras facilidades gratuítas da rede que ficaram à deriva. Estas antes raras e agora cada vez mais frequentes falhas colocaram em questão mais uma vez a eficiência da rede, em um mundo cada vez mais dependente da Internet.

As empresas estão reagindo. O próprio twitter e alguns serviços do google como o Youtube tem anunciado manutenções periódicas com certa frequencia para manter a confiabilidade costumeira.

Do outro lado, empresas fabricantes de dispositivos de backup tomam o problema como oportunidade de negócio. Basta abrir os principais cadernos de jornais do Rio, São Paulo e Brasília que veremos que todas as dicas de como se proteger contra as falhas resultam basicamente em venda de HDs externos portáteis ou coisas do tipo.

A história toda serve para fazermos uma avaliação de qual a real importância da Internet como plataforma de trabalho. Há 5 anos, o impacto de falhas críticas desta natureza não seria tão grande quanto é hoje onde a rede já se torna algo tão importante quanto água, luz e telefone.

Storm Cloud Computing

De bom, sabemos que haverá uma pressão natural para que seja dada cada vez mais atenção aos serviços de infra-estrutura da Internet em todo o mundo.

Vamos ficar de olho!

Desculpem!

Terça-feira, Abril 14, 2009
posted by Junior 5:37 PM

msnPessoal!

Gostaria de pedir imensas desculpas pela falta de postagens em nosso site(blog). Estamos relativamente sem tempo para escrever textos de qualidade (pensar). Ocupados! Graças a Deusssssssssssssssssssss!

Brevemente retomaremos nossas postagens regulares.

Abs,

Acredite na Web #4

Quinta-feira, Abril 2, 2009
posted by Junior 5:39 PM

acredite_na_web_n4Yes we can!

A rbw defende a utilização, com cautela (formiguinhas, uni-vos!) e com ajuda especializada é claro, de todas a ferramentas de democracia direta na internet por candidatos pleiteando qualquer um dos cargos majoritários em disputa em 2010. Eleições 2010? Mas vocês já estão pensando nisso? SIM! E para provar o nosso comprometimento com a causa, acabamos de lançar o mais novo carimbo “Acredite na Web” com o nosso garoto propaganda favorito. Confiram! Vai ser um sucesso!!!

carimbo

carimbo2

Brasil 2.0. Quando começa?

Quarta-feira, Março 25, 2009
posted by lairson 11:35 AM

A década de 2000 definitivamente ficará marcada pela explosão da sociedade em rede, pela enxurrada crescente de informação que, para não ser invasiva, deve ser sempre filtrada e pela transferência do poder de publicação de conteúdo, dos meios de comunicação tradicionais para as pessoas comuns. A Internet juntou as pessoas de uma forma ímpar, nunca antes vista, e torna cada vez mais vertical a forma de relacionamento entre as grandes empresas e seus consumidores e entre órgãos do poder publico e os cidadãos.

Dados do Ibope divulgados ontem (24/03) apontam 62,3 milhões de usuários de internet no Brasil, provando que o acesso a rede se torna cada vez mais presente na vida das famílias e que em breve teremos a maioria da população brasileira inserida digitalmente.

O resultado e as conseqüências disso tudo ninguém sabe ao certo, mas acredito que instituições antes tão conceituadas e hoje em declínio, como os partidos políticos, tendem a se reorganizar como instituições digitais, com forte presença online.

O ex-deputado Roberto Freire, presidente do Partido Popular Socialista, partido que já montou seu ambiente colaborativo na web,  já aponta há tempos em seus discursos para a necessidade de uma “nova organização partidária  preparada para o mundo novo em rede” a ser estruturada por meio das novas tecnologias de comunicação, que tem como plataforma a Internet.

De fato esse “mundo novo” já existe. As novas instituições já são digitais, formadas no grande ambiente social da web 2.0, organizadas por comunidades e nichos que decidem, cada vez mais formalmente, sobre tudo.

O evento da globalização nos dá a vantagem de que tudo que acontece no mundo acontece para todos, simultaneamente, e aqueles  países que tiverem maior capacidade de organizar suas sociedades em redes articuladas, em tese serão os mais prósperos e ricos.

Barack Obama, ao que parece, já percebeu isso e esta articulando uma grande rede de cidadãos americanos.

Quando é então que o Brasil 2.0 despertará ?

A Internet é democrática?

Quinta-feira, Março 19, 2009
posted by Junior 8:53 AM

acessoOnde? No Brasil? Na Europa? Independente de onde for, na minha opinião sim, é democrática. O que ainda não é democrático, o acesso. O que ainda não é democrático, nós, dentro da Internet.

Ontem, a B2BMagazine divulgou que o número de conexões banda larga no Brasil cresceu, em 2008, 45.9%, somando 9,83 milhões de conexões, cinco vírgula alguma coisa por cento de 193 milhões de habitantes. (fonte: Barômetro Cisco de Banda Larga)

Cinco vírgula alguma coisa por cento ? Isto é muito ou pouco ? Para mim é pouco! Muito pouco! Muito pouco mesmo! Caramba! É pouco demais…

A impressão que tenho, pode ser uma teoria pessoal de conspiração (Ver filme do Mel Gibson com a Julia Roberts), é que as grandes empresas de comunicação e tecnologia já estão anos luz em pesquisas, descobertas e serviços do que vemos de fato. Parece que elas vão despejando aos pouquinho no mercado, a conta-gotas, de acordo com seus interesses comerciais é claro. Novos produtos, novos serviços, lançamentos, coisas que já estão no porão de suas fábricas ou operadoras já a algum tempo, o suficiente para ganhar muito dinheiro, em um curto espaço de tempo.

E o governo sabe disso? Nessa minha teoria pessoal da conspiração sim, sabe. Compactua. Ahhhhhhhhhh Múlekeeeeeeeee…

Vamos lá gente! Pensem no próximo, ainda que seja virtual. Existe alguém querendo falar do outro lado e, no mínimo, ou, mais ou menos, 60 milhões de pessoas querendo ouvir (números de brasileiros que acessam a internet / fonte: IBGE e IBOPE Netratings). Wi-fi pública já! Inclusão digital é pouco, quero acesso!

E pra você, a Internet é democrática?

10 motivos para sua empresa não ter medo de aderir às redes sociais

Terça-feira, Março 17, 2009
posted by Taci 2:47 PM

Divulgado no Blog A Quinta Onda, do Mauro Segura, da IBM Brasil, este post é importante para entendermos o impacto das redes sociais nas empresas, além de dar 10 dicas importantíssimas sobre a relação das redes sociais e sua empresa. 

 

Confira aí as dicas de Mauro Segura:

 

1-       ACESSO FÁCIL E RÁPIDO AO CONHECIMENTO 

Uma rede social permite aos usuários listar suas habilidades, experiências e capacidades. Esse conhecimento distribuído dentro da empresa é mais facilmente localizado, favorecendo imensamente as organizações globais e multidivisionais onde o conhecimento está disperso e escondido pela hierarquia complexa.

 

2- O SER HUMANO ADORA REDE SOCIAL

Os brasileiros adoram conversar. Somos campeões de Orkut, de acesso à internet e na utilização de mídias sociais virtuais. Portanto, os funcionários das empresas já usam e abusam das redes sociais em suas casas. Eles adoram isso, chegam em casa e já vão direto para o computador acessar suas redes e seus contatos para trocar idéias. Por que não trazer esse hábito já existente para dentro da empresa?

 

3- A INOVAÇÃO APARECE

O ambiente aberto e colaborativo permite às pessoas, independentemente de suas posições dentro da empresa, expor suas idéias, feedback e comentários, que por mais aleatórios que possam parecer, certamente oferecerão um ponto de vista diferente do que o comando da empresa está acostumado. Muitas empresas delegam a “tal” da inovação ao “departamento de pesquisa e desenvolvimento” quando, na verdade, a inovação está em cada funcionário da empresa, dispersa e desconhecida.

 

4- QUEBRA DA BARREIRA GEOGRÁFICA

Uma rede social virtual permite o relacionamento de pessoas que estão distantes fisicamente, em locais com fusos horários distintos e idiomas diversos. Essa característica é particularmente importante para as empresas globais. A introdução de uma rede social num ambiente de trabalho como esse traz vantagens significativas.

 

5- QUEBRA DA BARREIRA HIERÁRQUICA

Uma rede social bem implementada permite a expansão dos relacionamentos de pessoas de diferentes departamentos internos, onde muitas vezes a organização hierárquica formal se transforma numa barreira. Conhecer e se relacionar com pessoas de outras estruturas organizacionais é uma dificuldade nas empresas, tal situação inibe a criação de times multifuncionais que é o modelo cada vez mais praticado pelas organizações modernas. Em resumo, a rede social quebra barreiras e aproxima pessoas.

 

6- COMUNICAÇÃO DIRETA SEM INTERMEDIÁRIOS

Uma rede social estabelece um canal de diálogo direto entre comandantes e comandados, sem intermediários. É chance do presidente e do time executivo estabelecerem contato com os funcionários, sentir o clima da tropa e descobrir o que anda sendo conversado nos cafezinhos.

 

7- IDENTIDADE PESSOAL

A rede social permite que o funcionário crie a sua marca, a sua identidade e como ele deseja ser conhecido na empresa. Essa identidade pessoal pode ser criada a partir das próprias atividades que o funcionário exerce na rede social, pelos seus relacionamentos e pela sua capacidade de expor seu conhecimento, idéias e propostas.

 

8- REFERÊNCIAS

Uma rede colaborativa é pródiga em referências e testemunhos, o que é muito útil no dia a dia das empresas. Aliás, em todos os trabalhos que vivi, a identificação de referências sempre foi uma dificuldade muito grande. Uma rede social facilita essa exposição e até incentiva o compartilhamento de experiências. E fica lá tudinho registrado.

 

9- POLÍTICA DE PORTAS ABERTAS

A implementação de redes sociais nas empresas é sinônimo de transparência e portas abertas. As pessoas gostam e precisam disso. Essa liberdade é valorizada nos dias atuais, especialmente pela geração Y que considera essencial viver e trabalhar num ambiente com facilidades de troca de idéias e opiniões.

 

10- TECNOLOGIA SIMPLES E FÁCIL 

Já passou o tempo em que a implementação de uma rede social era coisa complicada. Agora qualquer empresa pode fazer uso de ferramentas como o Blogger ou o Ning para implementar uma rede. E de graça. Qualquer pessoa sem experiência consegue fazer isso sem dificuldade. E não tem exigência de plataformas de tecnologia de hardware e software sofisticadas. Enfim, a tecnologia não é mais desculpa.

 

 

 

E Mauro ainda acrescenta…

 

Minha experiência na IBM mostra claramente que as redes sociais trazem mais produtividade e inovação para empresa, além de mais satisfação e desenvolvimento para os funcionários. Para as empresas que trabalham com times remotos e/ou multifuncionais, não existe nada melhor do que uma solução de rede social. Ela se torna ainda mais especial se tais times estão localizados em locais diferentes, com diferenças de fuso horário e até culturas diferentes. Nesse cenário, a rede social é imbatível como ferramenta de colaboração pois se transforma numa sala de reunião virtual ligada 24hs por dia, democrática e colaborativa. Todas as conversas e interações ficam registradas. Ninguém perde nada.

 

 

A implementação de redes sociais nas empresas vai intensificar a colaboração e os relacionamentos que já existem dentro das empresas, afinal o compartilhamento de opiniões, idéias e percepções já acontece diariamente nos corredores e “cafezinhos” das empresas. Ou seja, as pessoas falam e se relacionam minuto a minuto durante o trabalho, portanto a colaboração entre elas já existe. A questão é que, na maioria das vezes, esses momentos de colaboração não ficam registrados em lugar nenhum. Muitas idéias e conceitos inovadores ficam pedidos nos “corredores da vida” das empresas. Uma rede social poderia permitir o registro e continuidade de muitas dessas idéias, comentários e percepções. Por trás disso tudo tem o medo das empresas perderem o controle da informação.

 

 

E se tudo que foi dito não basta, fique sabendo que o seu concorrente já está fazendo isso. Você vai deixar ele passar a sua frente?

Você sabia?

Segunda-feira, Março 2, 2009
posted by Junior 9:39 AM

Na minha opinião, a internet definitivamente retoma o papel histórico das mídias de massa, que em um determinado momento de nosso passado era de, tão somente, animar públicos, fomentar debates, gerar polêmicas e reflexões, diferente do que vemos hoje, venda de espaços, conteúdos pagos e patrocínios acima da verdade. Isso não tem nada a ver com o vídeo, ou tem, não sei. Foi só um desabafo!

O Vídeo é bem legal! Confira!